Transporte ferroviário

O Paraná é o quarto Estado com maior extensão da malha ferroviária, totalizando 2287 km. Dessa extensão, 2039 km são operados pela em presa América Latina Logística do Brasil S/A, ALL, e a estatal Ferrovia Paraná S/A opera os 248 Km restantes. O trabalho dessas instituições é fundamental para o escoamento de grãos nas regiões produtoras.

A ALL opera no Paraná através da malha Sul, que compreende toda a região, desde o Rio Grande do Sul, em Uruguaiana, Santana do Livramento e Porto Rio Grande, até o norte do estado do Paraná, divisa com o estado de São Paulo, na cidade de Ourinhos. O terminal da empresa em Paranaguá tem uma movimentação diária de quatro mil toneladas de produtos a granel, e pelo terminal de Araucária passam por dia duas mil toneladas de produtos industriais. Sua localização lhe confere grande importância, pois é o principal ponto de circulação de cargas entre o interior do Estado, sua capital, Curitiba, e o principal porto do sul do país, o Porto de Paranaguá.

Os 248 km de trilhos restantes, cruzam onze municípios do Paraná. O atual traçado inicia-se em Guarapuava estendo-se até Cascavel. Ao longo de seu trajeto, a estrada de ferro corta os municípios de Candói, Goioxim, Cantagalo, Marquinho, Laranjeiras do Sul, Nova Laranjeiras, Guaraniaçu, Ibema e Campo Bonito, entre outros.

A capacidade da ferrovia, atualmente, chega a 5 milhões de toneladas ao ano, e a demanda anual em toda sua área de influência, Paraná, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina e Paraguai, é estimada em 20 milhões de toneladas ao ano. Contudo, apenas o Estado do Paraná tem capacidade potencial de movimentar até 12 milhões de toneladas ao ano.

No trecho Guarapuava-Cascavel a ferrovia possui um total de 13 pátios, sendo três nos terminais e 10 intermediários, contendo 41.091,99 metros de linhas férreas secundárias.
Os principais pátios de movimentação de mercadorias encontram-se nos pontos extremos da linha.

Os embarques em Cascavel são realizados no terminal de transbordo de cargas dos caminhões para os vagões. Estão instalados nesse terminal moegas de recepção ferroviária e rodoviária, tulhas, balanças ferroviária e rodoviária. Também existem dois silos para grãos, com capacidade estática de 3,2 toneladas cada um, tombador para caminhões, balança rodoferroviária, e instalações complementares, como elevadores e correias.

Ao longo da linha está em operação um terminal de calcário, com moega e correias transportadoras, com capacidade de 200 toneladas por hora. O local serve para movimentação de óleo vegetal comestível e para desembarque de insumos agrícolas a granel e ensacados.
No Pátio de Cascavel está em operação a Estação Aduaneira Interior (EADI), que torna viável a captação pela de carga a granel procedente do Paraguai, além de cargas da região oeste do Paraná. Em Guarapuava, é utilizado o terminal da Cooperativa Agrária Entre Rios. As mercadorias destinam-se, principalmente, ao Porto de Paranaguá para exportação, ou às indústrias de moagem de soja em Guarapuava e Araucária.

 

Fonte: Ferrovia Paraná S/A

Serviços LogosBr Webmarketing Criativa Ciatour Embratel Site sob medida